Visita virtual à Capela Sistina vídeo 01

Visita Virtual à Capela Sistina Vídeo 01

O prof. de História da Arte Fábio San Juan inicia esta sequência de 04 vídeos fazendo a primeira visita virtual da Apreciando Arte a esta obra-prima da arte universal: a Capela Sistina.

Ele explica a decoração da capela, suas pinturas e seus significados.

Link para a Visita Virtual no site dos Museus Vaticanos: http://www.museivaticani.va/content/museivaticani/it/collezioni/musei/cappella-sistina/tour-virtuale.html

Link para a Visita Virtual direto no site do Vaticano: https://www.vatican.va/various/cappelle/sistina_vr/index.html

Assista ao vídeo abaixo:

Transcrição do vídeo

Olá! Eu sou Fábio San Juan, professor de História da Arte do site Apreciando Arte. Sejam bem-vindos!

Esta é a nossa primeira visita virtual a um espaço expositivo, museu ou local onde há obras de arte muito importantes, de qualquer lugar do mundo.

Qual é a nossa proposta? Bom, nos últimos anos tenho realizado muitas visitas a museus, exposições, igrejas, com pessoas que amam a arte e querem conhecê-la melhor.. Um dos comentários mais frequentes dos participantes é o seguinte: “professor, é muito diferente visitar o museu sozinho e visitar o museu com o senhor! Pois o senhor vai explicando tudo, dá o significado, o sentido das obras”.

Pois é. Essa é a proposta do meu trabalho, e da Apreciando Arte, desde os primeiros cursos e as primeiras excursões: facilitar o acesso, explicar o que significam essas obras, as possíveis leituras, para que as pessoas possam amar essas obras, esses artistas. Pois como dizia Leonardo da Vinci: você só ama aquilo que conhece!

Então, a nossa primeira visita virtual será a um local tão importante, e tão rico em detalhes, que fiz 4 videos a respeito, que estão sendo publicados ao mesmo tempo. Esse local é uma obra-prima da arte universal de todos os tempos, a Capela Sistina.

Normalmente, você paga de 8 a 17 euros para visitar a Capela, presencialmente. É claro que a visita virtual não é a mesma coisa que visitá-la pessoalmente, mas a visita virtual tem algumas vantagens. Por exemplo, você pode ficar o tempo que quiser olhando para as obras, decifrá-las, abrir outras janelas para ler sobre cada imagem. Fora que você pode se aproximar de algumas imagens de uma forma que você não vai conseguir pessoalmente lá!

Eu vou deixar os dois links aqui na descrição do video, pois o Vaticano tem duas visitas virtuais disponíveis à Capela. Um deles é dos Museus Vaticanos, a definição da imagem desta visita é pior quando você chega muito perto das imagens, mas as imagens são mais claras, parece que a fotografia foi feita num horário de luz intensa. A outra vantagem é que por este link você consegue ler textos sobre cada camada de imagens da capela.

A outra visita está disponível diretamente no site do
Vaticano –
www.vatican.va – e as imagens são bem melhores, quando damos um close nelas. Mas a visão delas nos cantos é prejudicada. Um outro atrativo é a música sacra que toca durante a nossa visita.

Enfim, eu irei usar as duas visitas nestes 3 videos, de acordo com a necessidade.

Ah, um aviso, pois pode acontecer com vocês: o link a partir da página oficial do Vaticano não funciona no meu PC, e também não consigo acessá-lo pelo celular. Por isso estou deixando o link que funciona e cai direto na página da visita. Caso consigam de uma dessas duas formas, deixem um comentário avisando!

Vamos lá?

A primeira pergunta que muitos de vocês irão fazer é a seguinte: “Professor, por que a Capela Sistina é tão famosa?”

A resposta óbvia é: por causa das pinturas do teto, feitas por Michelangelo. Por que óbvio? Porque essas pinturas são sinônimo de Capela Sistina. Porque são uma realização fora do normal. Porque são pinturas belíssimas e o que é mais surpreendente, feitas por um só homem, sem assistentes. Acreditam? Sobre elas, em 1787, o escritor alemão Goethe disse a seguinte frase:

Sem ter visto a Capela Sistina, não se pode ter uma ideia apreciável do que um homem é capaz de alcançar”.

Entenda que é, ao pé da letra, o que “um” homem, sozinho, é capaz de alcançar. Michelangelo realizou esse feito em três anos.

Mas a Capela Sistina, como todas as igrejas católicas, é resultado de um esforço coletivo. Nós temos o teto de Michelangelo e temos as pinturas feitas pela equipe de Perugino, com os melhores artistas da época, que vieram de Florença. Nós temos o projeto arquitetônico, temos o piso, o coro, a transena, o altar. Claro que nós focaremos nas pinturas e falaremos de “raspão” sobre os outros elementos.

O que é a Capela Sistina? A Capela Sistina, como diz o nome, é uma capela, ou seja, um templo católico, dedicado à Nossa Senhora da Assunção, a mãe de Jesus Cristo que subiu ao céu de corpo e alma.

A Capela está no Vaticano, em Roma, Itália, no conjunto do Palácio Apostólico, residência oficial do papa e ao lado da Basílica de São Pedro. Oficialmente ela é a Capela particular do Papa, mas hoje, o papa celebra suas missas privadas na Hospedaria Santa Marta, onde ele escolheu morar. A Sistina é mais conhecida como local dos conclaves, a reunião dos cardeais de todo mundo para escolher um novo papa.

Por que o nome “Capela Sistina”? Porque foi mandada construir pelo papa Sixto IV. Sixto → Sistina. Assim como temos próximas à Capela Sistina a Capela Paulina, mandada construir pelo papa Paulo III, e a Capela Nicolina, mandada construir pelo papa Nicolau V.

A capela foi construída na década de 1470, sobre as fundações da antiga capela papal, a Capela Magna, que estava em ruínas. O projeto arquitetônico da capela atual é de Baccio Pontelli.

A Capela Sistina é um único salão – um retângulo de quase 41m de comprimento, por 13,5 de largura, com quase 21m de altura – as mesmas medidas do Templo de Salomão, conforme descrito no Antigo Testamento. Ao contrário de outras igrejas ou capelas, não têm altares laterais, nem nichos para imagens nas paredes. O projeto da capela, com amplas paredes, foi muito propício para a decoração com pinturas, provavelmente porque foi inspirada na decoração da Capela Scrovegni, de Pádua, decorada por Giotto.

A decoração com pinturas foi toda feita na técnica do afresco – uma técnica de pintura diferente da pintura a óleo, na qual a tinta é aplicada sobre o reboco de gesso úmido; quando o reboco seca, o pigmento da tinta se mistura ao reboco, o que lhe dá uma resistência por séculos. A primeira fase da decoração – feita pela equipe de Perugino, ainda sem Michelangelo – foi iniciada por volta de 1480 e terminada em 2 anos.

Começando a visita virtual, quando a página carrega, você está no meio da Capela. Na parede á sua frente, o Juízo Final de Michelangelo. Abaixo, o altar principal, com um crucifixo. Nas pontas, duas portas, sendo que a porta da esquerda é a porta para a “Sala das Lágrimas”, onde o papa eleito no conclave é preparado, vestido, para a apresentação no balcão da Basílica de São Pedro. O piso do altar é mais elevado e é em formato de “L”.

Olhando para o chão, nós observamos o piso cosmatesco, ornamentado com a técnica do Cosmati, também chamada de opus alexandrinum, uma técnica de mosaico, com pedras coloridas de diferentes tamanhos, encaixadas umas ao lado das outras para formar figuras ornamentais.

Se você olhar para trás, arrastando o mouse para a esquerda ou para a direita, vemos a transena, também chamada de gelosia em português, que nada mais é que um gradil, uma estrutura para separar a sala em dois ambientes. Na extremidade da sala, a porta de entrada. À esquerda da transena, vemos o coro, elevado, com um balcão que se projeta discretamente para dentro da capela.

Agora, as paredes. Percebemos que há quatro faixas, quatro níveis, de afrescos.

A primeira faixa, mais próxima do piso, está pintada, em toda a volta da sala, com tapeçarias douradas ou prateadas, decoradas com o brasão papal. Perceba que são representações pintadas de tapeçarias, e não tapeçarias reais.

Na segunda faixa de afrescos, temos à esquerda dois ciclos: um com cenas da vida de Moisés e à direita, outro ciclo com cenas de vida de Cristo.

Na terceira faixa de afrescos, temos 12 janelas, 6 nas paredes laterais e nenhuma nas duas paredes mais estreitas. Nesse nível, estão representados os 28 primeiros papas.

Na quarta faixa de pinturas, começa o trabalho de Michelangelo: são as lunetas, espaços semi-circulares sobre as janelas, representando os ancestrais de Cristo.

E finalmente temos o teto, totalmente pintado por Michelangelo, com várias representações. O total de personagens bíblicos e figuras alegóricas pintadas pelo artista chega a 300 figuras.

Vamos então ao video número 2 da nossa visita virtual à Capela Sistina

Link para o 2.o vídeo / artigo: http://www.apreciandoarte.com.br/visita-virtual-a-capela-sistina-video-02

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *